Sagradas Escrituras – Êxodo, a Saída

Postado em 07/10/2011 - Estudos por Rafael Baptista

apocrifo-rbs


Dando continuidade a série de postagens “Sagradas Escrituras”, vamos para o segundo livro da nossa Bíblia do Antigo Testamento, e, também, o segundo livro do Pentateuco(Torá, Livro da Lei).

 

Este livro, tem por nome “Êxodo”.
Nele, estão registrados os acontecimentos da libertação do povo de Israel do Egito e seu desenvolvimento como nação.

 

E disse o SENHOR: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores [...] Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó para que tires o meu povo (os filhos de Israel) do Egito.
(Êxodo 3:7,10)

 

A palavra Êxodo vem do grego e significa “sair”. Este livro tem esse nome justamente porque registra a saída de Israel do Egito.

 

No primeiro livro, de Gênesis, lemos sobre o princípio da redenção. No livro de Êxodo veremos acerca do desenvolvimento da redenção. Em Gênesis a redenção é realizada através de indivíduos, já em Êxodo é por uma nação inteira: Israel.

 

A ideia central do livro é a redenção pelo sangue. É mostrada a história de um povo salvo pelo sangue, amparado pelo sangue e tendo acesso a Deus pelo sangue. Essa redenção supre todas as necessidades da nação.
Oprimidos pelos egípcios, Israel precisava da libertação. Deus provê essa libertação. Uma vez salva, a nação precisa da orientação de Deus para uma nova conduta e forma de culto. Deus lhes dá a Lei. Convencidos do pecado pela santidade da Lei, os israelitas sentem a necessidade de purificação. Deus provê os sacrifícios. A partir da revelação de Deus, o povo sente a necessidade de culto. Deus lhes dá o Tabernáculo e estabelece um sacerdócio.

 

Os acontecimentos em Êxodo se passam em 216 anos, cerca de 1760 a 1490 a.C. Começa com um povo escravizado, convivendo com a idolatria egípcia, e termina com um povo redimido habitando na presença de Deus.

 

Faremos agora um esboço geral do livro de Êxodo, destacando os principais assuntos tratados:

 

I. Israel no cativeiro (caps. 1 e 2)

- A opressão de Israel (cap. 1)
- O nascimento de Moisés (2.1-4)
- A adoção de Moisés (2.5-10)
- O zelo precipitado de Moisés (2.11-14)
- A fuga de Moisés (2.15)
- O casamento de Moisés (2.16-22)

 

É bom lembrar, que em Gênesis foi profetizada a escravidão do povo:

 

Então disse a Abrão: Sabes, de certo, que peregrina será a tua descendência em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos,
Mas também eu julgarei a nação, à qual ela tem de servir, e depois sairá com grande riqueza.

(Gênesis 15:13-14)

 

II. Israel redimido (caps. 3-15)

- A chamada e a comissão de Moisés (3-4.28)
- A partida para o Egito (4.24-31)
- O conflito com Faraó (caps. 5 e 6)
- As pragas (caps. 7-11)
- A Páscoa* (caps. 12)
- A partida do Egito (cap. 13)
- A travessia do mar Vermelho (14-15.21)

 

* Páscoa significa “passar adiante”. Foi constituída quando Deus lançou a ultima praga sobre os Egípcios, cuja qual, o anjo da morte derruba todos os primogênitos do povo. Mas para o povo escolhido, Deus manda que matem um cordeiro e passem o seu sangue nas portas das casas, fazendo, com isso, que o anjo da morte “passe adianta” das casas do povo de Israel.

 

É importante frisar a grandeza e o caráter sobrenatural da libertação de Israel. Era o propósito de Deus ter um povo cujo testemunho ao mundo seria: “salvo pelo poder de Deus”. Ele queria que fosse gravado na mente do povo de tal maneira que, quando viesse a opressão e a provação, pudessem sempre ver e recordar que a salvação vem do SENHOR.

 

Muitos tropeçam no fato de Deus ter endurecido o coração de faraó e, em seguida castigasse-o. É necessário lembrar que o faraó também endureceu o seu próprio coração (8.15,32). Deus endureceu o coração de faraó do mesmo modo como o Evangelho de Jesus Cristo endurece o coração dos homens quando o rejeitam. Para alguns, o Evangelho resulta em Salvação; para outros, em morte (v. 2 Co 2.15,16). Em Atos dos Apóstolos 19.9, está registrado que “alguns deles se endureceram” após a pregação do apóstolo Paulo.Eles repeliram a mensagem de Paulo. A mesma coisa aconteceu com faraó. A mensagem de Deus foi simplesmente a ocasião do endurecimento do seu coração; sua recusa em obedecer a mensagem foi a causa.

 

III. Israel viaja ao Sinai (caps. 15-18)

Vamos ver o mapa para nos localizarmos:

 

 

- Mara: águas amargas (cap. 15)
- Elim: fontes e árvores (cap. 15)
- Deserto de Sim: o Maná (16)
- Refidim: a rocha ferida; batalha contra Amaleque (17)
- Sinai: visita de Jetro (18)

 

IV. Israel recebe a Lei (caps. 19-23)

- A subida de Moisés ao Sinai (cap. 19)
- A eleição de Israel (19.5)
- Os Dez mandamentos (20)
- A legislação de Israel (20-23)
- A lei civil (caps. 21-23)

 

Como nós, cristãos, devemos cumpirir a Lei?

 

A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.
Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.
O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor.

(Romanos 13:8-10)

 

Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.
(Gálatas 6:2)

 

V. Israel em Adoração (caps. 24-40)

- Moisés recebe o modelo do Tabernáculo (caps. 24-31)
- Quebra da Lei (32-34)
- A construção do Tabernáculo (35-39)
- O Tabernáculo erigido (40)

 

No monte Sinai, Deus estabeleceu uma relação especial com seu povo. Pela mediação de Moisés, um povo redimido e seu Deus foram unidos nos santos laços da aliança. Deus se tornou o Deus de Israel e Israel se tornou o povo de Deus. Para que essa comunhão pudesse continuar, Deus ordenou que fosse construído o Tabernáculo.

 

E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.
(Êxodo 25:8)

 

Para entender melhor o Tabernáculo, vamos considerar os seus títulos:

 

- Tabernáculo (habitação em Hebráico): Deus indicou um lugar onde seu povo sempre o pudesse o encontrar “em casa”, embora Deus seja onipresente.

- Tenda da Congregação ou Tenda do Encontro: Era o ponto de contato e o meio de comunicação entre o céu e a terra (Ex 29.42,43)

- Tabernáculo do Testemunho, ou a Tenda do Testemunho: Por causa das duas tábuas da Lei que foram colocadas na Arca. Essas tábuas foram chamadas de “tábuas da aliança” ou “tábuas do testemunho” (Ex 31.18;34.29). Testemunhavam a santidade de Deus e o pecado do homem.

- Santuário: Literalmente lugar santo, um edifício separado para a habitação divina.

 

Esse foi um resumo sobre o livro de Êxodo, espero que tenham gostado.
A série sobre as Escrituras continuam, fique atento para o próximo livro: Levítico.

Fonte: Através da Bíblia: Livro por Livro; Pearlman, Myer / Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal

 

 

Postagens anteriores desta série:

- Sagradas Escrituras – Gênesis, o Princípio

Sagradas Escrituras [ Parte I ] – Sobre os Livros Apócrifos

3 Comentários

  1. MARCOS disse:

    GOSTEI MUITO DESSE SITE,O POVO DE DEUS PRECISA DISSO MESMO UM MOTIVO DE APRENDISAGEM,PARA NOS INCENTIVAR A APRENDER MAIS DA PALAVRA DE DEUS.
    QUE DEUS ABENÇOE A TODOS VCS RESPONSSAVEIS POR ESSA MARAVILHOSA AULA DA PALAVRA DE DEUS.
    UM FORTE ABRAÇO E FIQUEM NA PAZ DO SENHOR

  2. PR.ANDRÉ CATELAN disse:

    MTO BOM PARABENS PELO ESFORÇO REPETITIVO NA LEITURA DA PALAVRA ,E POR EXTRAIR UMA LINHA DE RACIOCÍNIO EFICAZ PARA O POVO QUE SOFRE POR FALTA DE ENTENDIMENTO. APROVADO GOSTEI MTO.SHALOM

Deixe o seu comentário!





Social

Categorias

Enquete

Você acha que o estudo de Teologia é importante?

Ver Resultado

Loading ... Loading ...

Parceiros